• whatsapp-cafe-com-comprador
  • LinkedIn Social Icon
  • YouTube
  • Instagram

    Transformação da área de Suprimentos


    Como transformar a área de suprimentos de uma empresa em uma área estratégica ? Como melhorar a imagem do departamento de compras dentro de uma organização ? Como gerar receita ao invés de gerar custo ?



    Essas perguntas são feitas com frequência pelos executivos de suprimentos e/ou pelo corpo diretivo das organizações brasileiras.



    E quais são as respostas?



    Imaginamos uma empresa que fatura R$ 300 Milhões de reais, tem lucro de R$ 30 MM e gasta R$ 100 Milhões de reais com suas compras. Se a área de suprimentos negociar economias em torno de 10% o gasto será de R$ 90 MM, saving de R$ 10 MM que se incorporado ao lucro, aumenta em 33%, mudando o cenário de R$ 30 MM para R$ 40 Milhões de reais de lucro.


    Então quer dizer que 10% economizado na compra representa 33% no lucro?


    A resposta é sim se a empresa profissionalizar a administração desses processos e áreas envolvidas para gerar e gerir essas economias, não deixando disponível para cobrir custos extras de operação nem deixar com que a empresa gaste mais por estar com "dinheiro sobrando".



    E como fazer isso?



    Um breve resumo histórico mostra que há 30 anos atrás a área de suprimentos era apenas uma área de apoio e geradora de pedidos. Evoluiu um pouco com a chegada da internet e passou a ser uma área negociadora em meados dos anos 90.


    Recentemente após a virada do século, alavancadas pela globalização, "boom tecnológico", concorrência acirrada e crises econômicas, as áreas de suprimentos têm sido impactadas por transformações com o objetivo de gerar valor, saving... entregar estratégia, melhorar os resultados e participar efetivamente do bottom line da organização.



    Abaixo cito algumas das principais mudanças que acontecem em um processo de Transformação de Suprimentos:



    - Modelo operacional: É preciso definir e monitorar quem negocia, quem faz compra SPOT, quem cuida de controle, quem homologa fornecedor. Importante criar um modelo que permita essa segmentação de atividades, alocando assim o profissional por perfil.



    - Controle: Criar um dashboard com os principais indicadores é fundamental para manter a área gerando resultados com eficiência e controle.



    - Capacitação: Nem todo profissional de compras está preparado para conduzir um processo de strategic sourcing, uma análise de TCO, uma negociação que envolva aspectos tributários e fiscais. São necessários investimentos em treinamentos e cursos.



    - Tecnologia: Um bom modelo operacional precisa de uma boa ferramenta. Para que um fluxo seja bem executado, uma política de alçada seja respeitada, um compliance seja atendido, um KPI seja medido, um cadastro seja bem feito, um relatório bem gerado, é fundamental ter um bom ERP ou um bom portal de compras.



    - Engajamento: Nada disso é feito sem um plano de comunicação e envolvimento ativo da direção da empresa.



    Como está sua área de suprimentos ? Gerando pedidos, negociando ou já se transformou em área estratégica ?


    Autor - Douglas Marques Ferreira

    Café com Comprador

    Fique antenado

    live minder 1.JPG