ROI para Compras/Suprimentos



Você sabe o que é ROI para áreas de Compras ?


Para que serve ?


Qual o REAL RETORNO que a Área de Procurement (Compras) proporciona à uma empresa ?


Como se mede o retorno efetivo ?


Você sabia que esse KPI, muito conhecido em Finanças, tem sido muito utilizado em um das áreas mais estratégicas e importantes de qualquer empresa: a Área de Compras/Suprimentos/Supply Chain ?


Pois é, o ROI tem sido um KPI muito usado para mensurar o real retorno que Áreas de Compras dão às organizações.


Aborda de uma maneira ampla qual é a representatividade do peso de áreas de Compras nos custos da empresa, seu efetivo retorno para a organização e como devem ser monitorados pelas Áreas Financeiras para saber o real retorno para os custos.


O ROI para Compras (Return on Investiment) nada mais que um Indicador que mede o retorno financeiro que Compras proporciona, medido pelas economias geradas nas negociações comerciais x Custo (Budget) Total da Área de Procurement para empresa, incluindo-se ai, salários, benefícios, despesas gerais, gastos gerais, viagens, etc...


Você sabe como se mede ? Não ? Está interessado ?


O ROI é assim calculado:


ROI = Saving – Custo Total Área (Budget) / Custo Total Área (Budget)


Obviamente antes de se efetuar comparações de eficiência, é necessário alinhar inicialmente as premissas de medição (conceito) das formas de economias reportadas, a começar pelo Saving.


A metodologia de monitoramento de Saving pode variar de empresa para empresa, entre compra de Materiais e Serviços e até para Equipamentos.


No caso do exemplo que reporto abaixo, referente à Área de Procurement da Galvani, o ROI é obtido considerando apenas Savings geradas nos processos de aquisição, sendo assim calculados:


  • MATERIAIS: Diferença entre o VALOR FINAL – VALOR ANTERIOR trazido à Valor Presente (VP);


  • SERVIÇOS: Calcula-se Saving apenas fazendo-se o cálculo da diferença entre o VALOR FINAL – VALOR INICIAL (menor valor inicial, não necessariamente sendo do mesmo fornecedor).


Segue exemplo :


Embora entendamos que existam particularidades de processos e que estes podem ser muito específicos entre si, principalmente se considerarmos que existem diferentes segmentos, que dependem do tipo de Indústria ou do Serviço prestado, o estabelecimento de um Indicador Comum entre as empresas/áreas pode oferecer, ainda que não de uma maneira ideal, uma forma mais padrão de medir e comparar-se a eficiência entre áreas de Procurement.


Também, cumpre lembrar que existem outras gerações de economias que podem ser entregues por uma Área de Procurement, dentre elas, Cost Avoidance (Custos Evitados) e Payment Terms (extensão dos prazos para pagamento das compras – sem prejudicar os valores negociados).

Se existem KPIs também para estas outras maneiras de agregar resultados, basta somar ao Saving, os resultados colhidos por estas outras 2 maneiras de se obter resultados para a empresa.







Escrito por Edson Henrique (originalmente publicado em inglês no LinkedIn, em 31/01/2020)