O Poder dos Millennials


Quem tem a oportunidade de trabalhar hoje em dia em uma área de produto, desenvolvimento, criação ou inovação, sabe muito bem do que eu quero falar quando digo que o millennial tem poder. Os compradores que atendem essas áreas já devem também ter percebido isso. Quem lida diretamente ou indiretamente com essas áreas, tem investido inúmeras horas pensando em como agradar a geração Y, ou seja, os millennials.


Primeiro é preciso entender a geração Y é dividida em 2 blocos, entre os que tiveram infância e adolescência nos anos 90 (Suas maiores preocupações e objetivos são coisas como mudar ou conseguir um emprego, viajar ao exterior, comprar uma casa ou apartamento e começar ou voltar a estudar) e os que tiveram nos anos 2000 (Tendem a ter menos paciência com “perda de tempo” como anúncios e comerciais. Tendem a ser mais realistas, questionadores e conscientes quando o assunto é finanças). Esse range, segundo o IBGE em 2019, representa quase 15% do total do Brasil sendo a maior faixa etária de todas, e vai permanecer assim nos próximos 10 anos, ou seja, o grande desafio da indústria, comércio e serviços é atender esse público. Ambos os blocos têm grande inclinação para tecnologia e inovação, tem menos fidelidade com marcas, ou seja, experimentam mais do que gerações anteriores, são extremamente exigentes com qualidade e estão cada vez mais buscando a comodidade e facilidade de compra x entrega.


Temos então claramente um breve resumo de como pensam os clientes e consumidores, neste momento, isso já está sendo utilizado com muito mais profundidade pelas áreas que eu mencionei lá no começo do artigo, e porque não usar também nas áreas de compras e suprimentos, pois o mesmo comportamento de um cliente/consumidor externo pode ser aplicado a um cliente/consumidor interno, não acham?


Tenho acompanhado com muita atenção esse momento de mercado e como essas áreas (criadoras e produtoras de produtos e serviços) têm se comportado, desde investimentos em pesquisas, inovações, contratações de parceiros estratégicos, logística P2P e aperfeiçoamento da estratégia omnichannel para distribuição e entrega da experiência ao usuário e vejo muita coisa nova. E Compras/Suprimentos? Tem feito seu papel buscando atender/encantar/superar as expectativas dos seus clientes internos?


E o que significa essa tal experiência do usuário? Quem é o usuário?

Voltamos aos millennials porque eles são “o usuário do momento”, a experiência do usuário no momento é a experiência do millennial, ou seja, atendê-lo de forma eficiente com relação a preço, meios e condições de pagamento, prazos e formas de entrega ou retirada, pré e pós venda, tudo isso faz parte da entrega de experiência e as indústrias e comércios já estão com esse pipeline. E Compras/Suprimentos? Tem buscado excelência para entregar essa experiência ao cliente interno?


Se o seu cliente interno for millennial, aqui neste texto já tem várias dicas.

Lembre sempre do que disse Sam Walton, fundador do Wal-Mart (até então a maior rede de varejo do mundo), “O cliente pode demitir todos de uma empresa, desde o presidente até o faxineiro, simplesmente se ele gastar o dinheiro em outro lugar”


Hoje em 2019, o mundo mudou, o varejo mudou, Compras/Suprimentos mudou, até o cliente mudou... mas a frase do tio Sam não mudou!


E os millennials são a cereja do bolo quando se fala em cliente/consumidor... Eles estão com o poder!


(texto escrito por Douglas Marques Ferreira em dezembro de 2019)