top of page

Os investimentos que são feitos para você



Começar explicando que não existe um investimento certo e outro não, que é por conta do risco que está atrelado a um cenário ou aquele título, que não combina na sua carteira, que a concentração está totalmente diferente da ideal: isso não existe, o que existe é através da API – Análise de Perfil do Investidor um direcionamento para que produtos financeiros sejam mais coerentes para o modelo de vida, apetite ao risco e diversificação para aquela pessoa.


Não é muito difícil de compreender que jovens são mais arrojados e idosos são mais conservadores, isso é natural, todavia pode ser demonstrado ocorrer totalmente o contrário após o teste, e a pessoa selecionada, independente de sua idade, apresentar direcionamento para ser arrojada e ela ter 72 anos. Então, também não é a idade. É necessário ter a visão de outros fatores para delimitar quais investimentos são realmente feitos para você.


Algumas pessoas desenvolvem diversos hábitos saudáveis para a sua qualidade de vida, bem estar físico, psicológico, filosófico, motivacional, sexual, entre outros. Não deve ser diferente para o ponto financeiro ainda mais que ele tem grande influência na educação do indivíduo e no seu caráter financeiro onde a confiança exerce grande influência.


A estratégia de não colocar todos os ovos na mesma sacola é válida, todavia muitos bilionários não o fazem e todos os seus riscos estão no mesmo negócio. É interessante isso. Quando oriento as pessoas a diversificarem, e eu não o faço correndo o risco de pecar na palavra e na ação. Isso é similar aos educadores que são chamados de professores sem terem licenciatura ou formação para tal, ou com professores formados em Educação Artística dando aulas de Português ou outra disciplina completamente diferente da sua. Apesar dessa ação ocorrer por substituição ou esporádico, tem se tornado cada vez mais corriqueiro e normal.


Em direção dessa linha, falar é diferente de fazer e não recomendo diversificação nem concentração, sempre recomendo o que faz sentido e é bom para seus investimentos, ou seja, é o investidor que precisa ter certeza do que fazer. Logicamente há caminhos para isso como no próprio teste de API que objetiva identificar através do apetite ao risco, conhecimento e tempo para o investimento do investidor qual segmentação é o dele.


Partindo do primeiro ponto que é a segurança: se ele prioriza segurança, possui pouco ou nenhum conhecimento na matéria e seu foco é no curto prazo: seu comportamento é conservador; se aceita algum risco para obter um retorno um pouco maior, já fez investimentos e conhece alguma coisa do mercado e visa o médio e longo prazo para investimentos: seu comportamento é moderado; e se aceita rentabilidade acima do padrão, é experiente ou profissional do mercado financeiro e tem outras fontes de receita que, para estes investimentos que fará, não tem prazo definido: o seu comportamento é arrojado ou agressivo.

Fonte: Adaptado pelo autor


É interessante compreender expectativas sobre a segurança que o investidor deseja. Se ele valoriza o aspecto de proteção aos seus recursos, ele mostra-se mais conservador e há um parâmetro para se cumprir com produtos bancários que atendam o seu perfil. Assim também se entende que precisa de um maior risco ou seu olhar está totalmente na rentabilidade, aí mesmo sabendo que resultados passados não são garantia de resultados futuros, isso aplica-se para investimentos em produtos bancários na composição de sua carteira.


Na questão de conhecimento, é uma outra diretriz muito importante na amostragem de cenários para a preparação do investidor caso ele possua nenhuma, algum ou já é experiente com a área de investimentos. É através dos conhecimentos que o investidor obtém informações para aprofundar setores, rentabilidades, indicadores econômicos e outros pontos que fomenta para outros impactos inclusive na escolha de ativos. Relaciona-se diferente também com as instituições financeiras que possui conta, altera-se a visão de um investidor mais passivo que não objetiva um fator para o mercado financeiro para um investidor ativo, que projeta seus interesses na busca por mais informações e conhecimento.


E o tempo é uma terceira escolha importante, aqui resumida. Sua relevância determina o prazo que o investidor está disposto para arriscar um recurso com objetivo de obter uma rentabilidade diferente ou desejada.


Não são exclusivamente produtos bancários como CDBs, RDBs, títulos públicos, debêntures, outros títulos privados, ações, opções, recibos, notas lastreadas em ações, ou ativos digitais, criptoativos, negócios, participações, entre outros, que definiram qual é parecido com você ou seu jeito de investir, talvez tenha mais interesse em obter conhecimento ou goste, mas o que vai demonstrar qual investimento será seu é através de um teste de perfil conhecendo com mais profundidade seu apetite ao risco que pode correr, o prazo que está disposto a usar e o conhecimento que já obtém. A experiência alinhada com outros fatores farão que investimentos tornem-se comuns e o dinheiro faça mais parte da sua rotina do que você imagina.




Texto escrito por Thales Kroth | 08/11/2022, é sócio na Eu Acionista e é colunista do Café com Comprador.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião do Café com Comprador e de seus editores.

Commentaires


bottom of page