top of page

O Salto de Fé



Olá, me chamo Fernando Di Grazia, vou contar aqui brevemente para você como fiz minha transição do mundo de compras, para o mundo terapêutico. Do começo…. Me formei em administração com habilitação em comex, morei mais de um ano na Inglaterra e lá trabalhei como chapeiro no Mc Donald's, consegui meu objetivo que era aprender a falar inglês. Minha carreira começou em exportação, depois de um tempo, apareceu a oportunidade na área comercial, então trabalhei como vendedor de cerâmica técnica e depois com vendas de serviços logísticos, mas não era por aí que eu sentia que queria ir. Fiz então uma especialização em importação e consegui um cargo como analista. Logo depois adivinha, surgiu o comercial de novo, e comecei a trabalhar em compras. Já aparecia em mim, uma vontade de lidar com pessoas, cuidar das relações, entender os conflitos. Após algumas experiências, ingressei em uma multinacional americana como analista júnior de compras. Daí foi só pra cima, cargos de pleno, sênior e coordenador vieram de forma rápida e recheados de responsabilidades. No último cargo de gestão, eu era responsável pela América Latina, auditorias, implementação de novos sistemas, e é claro, as metas de compras que todos estamos habituados. Até que um dia.... Estagnei no cargo de gestão, mais responsabilidades chegavam a mim, mas nada de aumento de salário ou cargo, só de responsabilidades mesmo. Hora de apontar dedos, meu chefe direto é o responsável, a empresa é a responsável, meu diretor é responsável, o mercado, o Brasil, o porteiro, minha mãe e de repente, com ajuda das terapias de autoconhecimento, esse dedo se voltou para mim! Nossa que peso e que alívio, sim, sentimentos ambíguos e verdadeiros. Quer dizer então que eu tinha responsabilidade nisso tudo e que também eu era responsável por mudar, se quisesse. Isso entendido e sentido, vi que estava fazendo algo que não queria mais, fazia pelo dinheiro e pelo estilo de vida que escolhi até então. Como era minha vida, e minha responsabilidade, resolvi mudar. Comecei a buscar o caminho de formação em terapias alternativas, para me entender melhor, e também, ajudar outras pessoas. E assim depois de algumas formações, cabelos e barba grisalha, dei o salto de fé e saí da zona de conformismo, melhor dizendo do corporativismo. Como diz o ditado popular, antes tarde do que mais tarde. Fiz formações de Coaching Ontológico, Constelação Familiar, Hatha Yoga, Reiki e Comunicação Não Violenta (CNV). Me mudei para a Bahia em 2022 com a família para ser sócio de um centro holístico ecológico. Além da sociedade, trabalho atendendo pessoas e facilitando processos de autoconhecimento de forma presencial e online. Mudei completamente minha vida, forma de viver, de me vestir, de gastar dinheiro, de comer, de me divertir em busca do que realmente importa e faz sentido para mim nesse momento. E hoje o que faz sentido para mim é, a busca diária pelo autoconhecimento, autorresponsabilidade, autocuidado, e também, estar com a família, comer bem, ir a praia todos os dias se possível e ajudar outras pessoas a trilharem seu próprio caminho. Quero deixar claro que o processo de autoconhecimento, não necessariamente fará com que você largue tudo, ou mude drasticamente sua vida, e também, não posso dizer que não o fará. O que ocorre é que ao se conhecer profundamente, você pode identificar até que ponto está vivendo sua verdade, e não a verdade que seus pais quiseram para você, ou que a sociedade mostra como bom e certo. Dito isso, sem hipocrisia sobre sociedade e mundo corporativo, vivemos em um plano material, dual e denso. Acredito que estamos aqui para evoluir como seres espirituais, falo em espiritualidade não religião, e viver na matéria faz parte disso. É importante se conhecer, e saber até onde viver da forma que vive hoje, está te fazendo bem realmente, ou se há algo que queira mudar e não consegue. No caminho do autoconhecimento, o olhar para dentro vai tirando essas máscaras e o véu, para que você possa olhar com verdade e assim decidir assumir a responsabilidade pela sua vida, saber qual o impacto quer causar no mundo e o mais importante, ser feliz de verdade, não somente nos finais de semana e nas férias. Sim, tudo isso é possível e não é de quinta para domingo, é uma jornada ao seu interior, sua essência. Você pode se perguntar, mas por onde começo esse processo? Fique ligado nos canais do Café com Comprador, que postarei conteúdo com dicas e caminhos para trabalhar o autoconhecimento.


Fernando Di Grazia Esposo, pai, terapeuta, empresário e facilitador de processos de autoconhecimento. Após uma década no mercado corporativo, fiz minha transição para seguir o que acredito ser meu propósito, que é me conectar com pessoas e ajudá-las no processo de autoconhecimento. Em minha caminhada como terapeuta me formei em coaching ontológico, constelação familiar, hatha yoga, reiki, CNV, também faz parte de meus estudos do Pathwork, masculino saudável e o xamanismo.




Texto escrito por Fernando Di Grazia | 13/03/2023, com página no Instagram @fernandodigrazia , site https://www.fernandodigrazia.com/ e é colunista do Café com Comprador.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião do Café com Comprador e de seus editores.

bottom of page