O perfil do comprador 4.1 nas organizações


A primeira vez que escutei falar sobre a indústria 4.0 faz cerca de dois anos. Como um bom curioso, fui tentar entender o que era isso e fuçando no Google encontrei essa definição: Indústria 4.0 ou Quarta Revolução Industrial é uma expressão que engloba algumas tecnologias para automação e troca de dados e utiliza conceitos de Sistemas ciber-físicos, Internet das Coisas e Computação em Nuvem.


Na hora comecei a pensar como isso iria me impactar e como a minha profissão seria impactada por essa revolução que estava chegando. Dando um fast forward no tempo, e chegando em finais de 2019, comecei a escutar sobre Compras 4.0. Depois de entrar a fundo no assunto, reparei que estava já vivendo essa nova revolução.


Algumas mudanças, que pude ver, foram a aplicação da Inteligência Artificial e da Internet das Coisas. Essa aplicação tem a capacidade de monitorar e gerenciar, por meio de sensores conectados a web, toda movimentação dentro do armazém que mede a quantidade de uma mercadoria, colocando automaticamente os pedidos de compra quando o estoque atinge um determinado nível. Além disso, esses avanços permitem compras com apenas um clique, feito diretamente pelo requisitante. Isso é possível por causa de um catálogo digital em que o software sabe quem você é, e o que você pode se interessar de acordo com seu hábito de compra e perfil. Apenas os casos mais excepcionais precisam da atenção pessoal do comprador. E um dos avanços dessa transformação digital que mais tenho visto nas empresas é o RPA (Robotic Process Automation). Ele desempenha um papel fundamental na automação de processos de procure-to-pay e na execução de transações simples aproveitando controles sistêmicos e regras de negócio bem definidas, oferecendo assim benefícios significativos de custo e eficiência.


Catálogos eletrônicos, chatbot, RPAs, entre outras tecnologias aplicadas, mostraram que seríamos fortemente impactados por essa evolução. Para se manter atualizado e necessário nesse novo ambiente 4.0, o perfil e as habilidades do profissional de compras – que a partir de agora vou chamar de Comprador 4.0 – iriam mudar radicalmente.


A partir daí, comecei a estudar mais sobre o tema e pude identificar quais seriam essas novas habilidades e competências que o Comprador 4.0 necessitaria desenvolver ou, pelo menos, aperfeiçoar.


Dentro de todas as competências necessárias, identifiquei os principais pontos do novo perfil desse comprador:


  • Conhecer as tecnologias de RPA, IA, Learn Machine, Big Data, etc;

  • Orquestrar a Transformação Digital de Compras com foco no cliente;

  • Ser especialista em Strategic Sourcing;

  • Focar em soluções inovadoras;

  • Ter capacidade de persuadir e influência social;

  • Ser emocionalmente inteligente e ter sensibilidade interpessoal;

  • Ter habilidade de engajar e entender os clientes e suas reais necessidades;

  • Ter fluência em inglês e espanhol.


Basicamente, o Comprador 4.0 terá que desenvolver suas habilidades de relacionamentos interpessoais, de escuta ativa e de como prover soluções ao negócio, ou seja, ser um profissional que traga muito valor ao negócio, uma vez que as máquinas não podem cobrir essa necessidade.


Entretanto, a COVID-19 nos trouxe desafios totalmente novos em relação às nossas habilidades corporativas, pelo menos. Hoje já estou chamando de Comprador 4.1, pois além de executar todas as habilidades mencionadas acima, ele deverá adaptá-las às condições que nos encontramos nos últimos meses: home office, distanciamento social, relacionamentos virtuais, novas ferramentas de comunicação, fornecedores com dificuldades financeiras, mudança nas necessidades dos stakeholders, escassez de produtos, novos serviços digitais e muito mais.


Com todas estas mudanças, o Comprador 4.0, de uma hora para a outra, precisou dar um upgrade em suas habilidades e se transformar no Comprador 4.1. Esse profissional teve que desenvolver rapidamente novas habilidades para conseguir acompanhar as novas e diferentes demandas, como por exemplo: o engajamento virtual com clientes e fornecedores, negociações em ambiente totalmente virtual (WhatsApp, Zoom, etc), gerir equipes virtualmente, intensificar a gestão de risco de abastecimento e risco financeiro, desenvolver novos fornecedores e soluções de compras online via marketplaces, desenvolver fornecedores de serviços digitais e virtuais e tantas outras.


Apesar de todas as mortes e impactos negativos que a COVID-19 trouxe para nosso país, não se pode negar os avanços significativos dentro do mundo corporativo. O distanciamento social possibilitou uma aproximação com o mundo 4.0, agilizou mudanças que poderiam levar anos para serem implementadas e forçou uma adaptação nunca antes vista de todos os profissionais que fazem parte deste novo mundo. Bem-vindo ao mundo 4.0!


E você, já está preparado para ser um Profissional 4.1? Ou ainda continua sendo um Comprador 1.0? Emitindo pedido de compra em formulário contínuo? Fazendo três cotações para tudo que se compra? E somente reagindo às solicitações muitas vezes descabidas e sempre urgentes de seus requisitantes?


Texto escrito por Eduardo Multari