Educação corporativa e estratégias, o setor de compras cria valor para os negócios



Muito mais que entender como o setor de compras funciona é entender como a empresa se posiciona através das suas tendências futuras: acordos, negócios, contratações, planos e tomadas de decisão. Há alguns meios de se verificar se o setor de compras colabora financeiramente de forma positiva, não só pela geração futura de caixa, mas também pelos aspectos citados conjuntamente para as posições da empresa:


  • Se o setor de compras trabalha em acordo com o setor financeiro;

  • Se os negócios que a empresa fecha ou constitui afeta diretamente o setor de compras fazendo com que tenha sobrecarga de trabalho e afete os prazos e entregas;

  • Se a um plano de carreira para o setor; a rotatividade do pessoal está alta ou mesmo há um trabalho para retenção de talentos e desenvolvimento de sua criatividade;

  • Se há planos para que a empresa continue comprando com melhor qualidade e decisões estratégicas que afetem custos e investimentos.


Grandes planejamentos, muitas reuniões, agendadas apertadas, estresses ocasionados pela rotina e os compromissos que aparecem na agenda são questões que atrapalham a postura de manter qualidade, eficiência, proatividade e uma equipe motivada. Ter o grau certo para manter toda a equipe com o mesmo foco enquanto o setor está realizando cada vez mais atividades, requer dos líderes e da liderança em geral maior atenção. Aí, requer uma reunião com o setor de recursos humanos, o setor de estratégia junto com a presidência se não é possível ter mais contratações ou investir em treinamentos e cursos para todos os que integram o time de compras.


Gestores, a educação corporativa, aqui citado no assunto de treinamentos e cursos, não são despesas descartáveis, pelo contrário, representam grande força matriz para grandes tomadas de decisão quando se capacita e qualifica o funcionário, ou mesmo terceirizado, em um serviço de contato com clientes e fornecedores. Mais conhecimento é uma certeza de entrega seu serviço ou produto com melhor maestria, e mesmo que o funcionário não fique tanto tempo convosco, será um profissional capacitado no mercado. Contribuir para um mercado de trabalho em um melhor nível profissionalizante, também é uma posição de destaque e qualidade que a empresa passa aos investidores.


Sua atuação diferenciada pode servir também de capricho para a categoria que busca por uma representação ímpar quando trata-se de seus esforços e ganhos, principalmente com direitos e responsabilidades pactuados em contrato com empregadores. Os serviços não são os inimigos do desenvolvimento, nem a disposição para o cumprimento do fluxo de caixa direto que realizam através da efetividade de análises e avaliações de mercadorias e serviços, todavia é no capital humano que se passa a confiança pela realização de um bom trabalho e na maximização de que mais clientes irão requisitar o relacionamento para comprar mais.


A forma de pagamento é só uma de tantas estratégias que lojistas, bancos, prestadores de serviço, indústrias, empresas e negócios podem adaptar para se encaixar com seu público. Trilhar o mesmo passo que seus clientes, acompanhar suas necessidades, falar a mesma “língua” e realizar um bom atendimento e relacionamento configura que sua peça mais importante é o vendedor/comprador, é a busca pela consciência da criação de valor deste atributo pois quando, em uma reunião, você irá poder citar seu funcionário como maior orgulho que faz a diferença em seus negócios; muitos mais negócios o fará porque a dedicação e qualidade se manterá se você devolver a mesma confiança em salários, bônus e inclusive poder dele fazer parte da sociedade. Ele também é a empresa dele mesmo.



Texto escrito por Thales Kroth | 25/04/2022