top of page

Comprador & Negociador: Novas práticas para o trabalho



Há diversos skills novos que o mercado prefere de acordo com as responsabilidades, requisitos e mudanças das posições para as demandas. Na área de Compras, um comprador que não evolui e transforma seu espaço através da cordialidade, entendimento do que é necessário para fazer um bom trabalho, inclusive em buscar novos elementos para atender as compras que faz como um negociador, já torna-se ultrapassado para o mercado. Ser humano, mas ser usado como um recurso é a ousadia que o mercado quer que o profissional entenda que tem que ser assim.


As novas práticas para o trabalho moderno induz que o comprador seja um negociador com visão do seu trabalho, do processo que ele faz parte e da consequência de toda a escala. Assim, se for um produto, que este profissional saiba toda a forma logística, processual interna da empresa, desde a produção até o uso para o cliente final; e para um serviço similarmente, junto com o pós-venda e perspectivas para que o mapeamento de oportunidades para maximização das vendas sejam feitas.


Um profissional de compras capacitado está com tornando-se um negociador pela prática de conhecimentos sobre finanças, custos, riscos, cálculos, matemática financeira, acompanhamento de gestão de crises, monitoramento de investimentos, investimentos, etc. Já solicita-se conhecimento prévio deste profissional que saiba sobre atualidades do seu setor, da economia e do meio social. Não como um especialista, mas parte o que acontece do momento e também algum padrão histórico para o que acontece. Não que a moda tenha virado sinônimo de aprendizado contínuo, pois é esporádico, mas estar informado com alguns detalhes sobre um projeto, um processo de compras diferente ou mesmo inovador, pode ser o que fará você conseguir o trabalho ou ser dispensado da próxima fase.


Algumas dicas para saber ao menos o essencial de finanças é muito útil, não só no momento da entrevista, mas também para uma promoção como gestor, um redimensionamento para outro setor, uma prova ou exame de qualificação necessária, algo no sentido de fazer com que precise ficar mais qualificado. Exemplos:


  • Saber a taxa básica de juros da economia brasileira ou Selic, atualmente em 13,75%, pois através do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia sob administração do Banco Central estabelece as taxas para os títulos públicos federais para o dia, o que interfere nas demais taxas praticas no mercado financeiro;


  • Saber a inflação ou o IPCA - Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, divulgado pelo IBGE, atualmente em 5,90%, que mede a variação dos custos com os gastos de pessoas que ganham de um a quarenta salários mínimos em um mês em nove regiões metropolitanas, Goiânia e Distrito Federal;


  • Saber como está o Ibovespa, que é o índice da B3, mais importante indicador de desempenho médio de ações negociados na B3, atualmente a 112.273,01 pontos com queda em 30 de janeiro de 43,15 pontos ou 0,038%, com representação de uma carteira teórica de investimentos em tempo real, de aproximadamente 90 ações e 85 empresas;



  • Saber a variação do PIB, acumulado agora de 4 trimestres (12 meses) em 3,0% ou R$2,5 trilhões;


  • Saber algumas cotações como o dólar a R$5,12; o euro a R$5,55; o Yuan a R$0,76; a libra esterlina a R$6,32, entre outras;





  • Saber informações sobre o mercado imobiliário, tesouro direto, títulos públicos e privados, mercados de monetário, capitais, crédito e de câmbio; entre outros.


Conhecimentos técnicos nesse sentido para poder posteriormente criar uma criticidade de um contexto que for apresentado ou ainda identificar que condições são essas, sejam favoráveis ou desfavoráveis, mas de modo que tenha um embasamento e não seja superficial. O ser humano possui princípios e valores que o vão moldando com o tempo e isso é natural em seu ciclo de vida, por isso é importante diante de tantas informações saber nutrir esses conhecimentos com o que possui de mais valioso com seu conhecimento de mundo, que é o que acredita. Essa distinção de realidade o faz crescer intelectualmente e poder navegar em outros mares, inclusive.


Diante dessas circunstâncias, o comprador e negociador moderno têm diante de si novas práticas para o trabalho tradicional e isso é visto como uma inovação na sua forma de contratação independente de ajuste ou configuração com o seu meio, a necessidade dele possuir conhecimentos de outras áreas já o qualifica para responsabilidades mais altas, incluindo aquelas de natureza colaborativa para setores que tem mais comunicação como o financeiro, recursos humanos e logístico.


Informações como essas são essenciais para que o profissional de compras atual seja visto como protagonista para identificar melhores políticas e diretrizes a empresa, muito mais ao setor onde possui disposição imediata para exercer melhor treinamento. Então, ele não só faz parte do processo como aprende com ele e, se a gestão corporativa souber usar seus serviços, pode usá-lo como ativo importante para a construção de valor e desenvolvimento dos seus negócios.




Texto escrito por Thales Kroth | 30/01/2023, é sócio na Eu Acionista e é colunista do Café com Comprador.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião do Café com Comprador e de seus editores.

Comments


bottom of page